InícioNotíciasNatal 2015: felicitação do Prelado do Opus Dei
Notícias

Natal 2015: felicitação do Prelado do Opus Dei

26 Dezembro 2015

Etiquetas: Javier Echevarría, Deus, Amor, Natal, Belém, Papa Francisco
  Há poucos dias, pudemos contemplar a abertura da porta santa por ocasião do ano da misericórdia convocado pelo Papa Francisco. Então, todos o acompanhámos.

Mas eu queria fazer notar que Nossa Senhora, pela Sua grande vida interior proveniente dessa Conceição Imaculada foi a criatura que mais entendeu, quer do amor de Deus, quer do sinónimo do amor de Deus, que é a Sua misericórdia. E isto parece-me que encadeia perfeitamente com o Natal, que é a entrega misericordiosa de Deus a toda a humanidade.

Temos de aproveitar estes próximos dias, dias de autêntica alegria, de autêntico gozo, de autêntico ocupar-nos e de viver uma fraternidade cada vez mais extensa porque Deus quis partilhar connosco a Sua vida e disse-nos que somos seus irmãos, sendo filhos de Deus em Cristo.

Como podemos aproveitar este Natal, seguindo o ritmo do ano da misericórdia? De muitas maneiras. A cada um ocorrer-lhe-á o que a graça lhe vá inspirando. As famílias podem reunir-se para ler um pouquinho da bula que o Papa quis dedicar a este ano da misericórdia do Senhor. Outra maneira é contemplar as diferentes cenas do Evangelho nas quais Cristo sai ao encontro dos necessitados.

E, sobretudo, que nos apercebamos de que este Seu nascimento em Belém, no meio de tantas exigências e de tantas carências, é outra prova da misericórdia de Deus para connosco. São Josemaria dizia-nos que não devemos ter medo de falar com Jesus porque Ele é quem mais compreende, o grande amante, o grande Deus que sabe perdoar.

Por isso, aproximemo-nos do berço que é, como também São Josemaria dizia, uma cátedra de ensinamentos e peçamos-Lhe a Ele que saibamos aprender todos os dias a amar. Amar a quem? Em primeiro lugar, às pessoas que nos rodeiam, na própria família, no próprio ambiente de trabalho, no local em que nos encontramos com os amigos, nos tempos de lazer. E também ter essa santa preocupação de ir ajudar, apoiar, não somente do ponto de vista material, mas do ponto de vista de amizade, de fraternidade, as pessoas indigentes e necessitadas com um sorriso. Tantos homens!

Para além de que procuremos também ajudar economicamente, materialmente. Outra forma de podermos viver este Natal, santa e alegremente é, concretamente, olhando mais para Nossa Senhora, pensando n’Ela. Essa Criatura perfeita, com uma personalidade totalmente acabada, soube passar pelo caminho da humildade para servir. Ela di-lo expressamente no Magnificat, reconhecendo a sua pequenez: "Porque olhou para a humildade da Sua serva" escolheu-me para esta tarefa sublime de ser a Mãe de Deus. Queremos verdadeiramente acompanhar o Senhor em tudo o que nos peça? Abracemos o caminho da humildade, essa resposta tão total e tão completa, tão maravilhosa e tão ao alcance da mão. Ao mesmo tempo, tão difícil.

"Ancilla domini": que queiramos ser todas e todos servos e servas de Deus que vivem gozosamente o estar a atendê-lo a Ele, agora neste tempo de Natal, sabendo que necessita de nós. Também São Josemaria dizia que o Menino estende as mãos para Se agarrar ao nosso pescoço, pedindo-nos ajuda, pedindo-nos consolo e isto pede-o também através das necessidades das pessoas com quem convivemos, ou das personas que temos que ir visitar, ver, ajudar, para nos sentirmos irmãos delas.

Vamos aproveitar o Natal dizendo ao Senhor: "Gloria in Excelsis Deo". Mas também glória aqui na terra, porque nos damos conta de que Deus quer estar connosco e viver connosco. Que Deus vos abençoe.

opusdei.pt/pt-pt/


Artigos relacionados

Vídeo

Papa no Angelus: “Há que fazer boas obras porque palavras leva-as o vento”

Video. (Rome Reports). Durante a recitação do Angelus de domingo,10-07-2016, o Papa Francisco centrou-se na parábola do bom samaritano que se ocupa de um homem a quem bateram no caminho. Fá-lo depois de outros dois passarem ao largo. O terceiro, da Samaria, desprezado pelos judeus porque não seguem a religião verdadeira, foi o que se deteve a ajudar.

Documentos

Etiquetas em Notícias